sexta-feira, 26 de agosto de 2011

DEFENSORES DOS ANIMAIS: QUEM SÃO E O QUE FAZEM?


 No passado, ser um defensor dos animais era tido como uma pessoa
careta ou esquisita. Dava a impressão que era uma pessoa que não
gostava de gente. Isso mudou. Hoje os defensores estão em todas
as camadas sociais, inclusive entre os intelectuais e artistas.



Na verdade há vários tipos de defensores, desde os mais simples que
apenas cuidam bem dos animais e se preocupam por eles, até os
extremamente radicais que arriscam suas vidas em defesa dos animais
como por exemplo o grupo Igualdad animal da Espanha, o Greenpece, o
Sea Shepherd e vários outros. Entretanto todos tem algo em comum, o
grande amor pelos animais.



Os defensores mais simples em geral são carnívoros, ainda não
perceberam que não tem lógica defender um animal enquanto come
outros. Mas apesar de tudo, já é um início. Com o tempo e dependendo
de várias circunstâncias e por diversos caminhos alguns acabam
percebendo que é uma incoerência defender animais enquanto promove
matança financiando a indústria da carne. E assim, um dia tomam a grande decisão, não
se deve comer carne de quem se defende.



Há um grupo de defensores intermediários. São pessoas que as vezes não
tem muito tempo para se dedicar a causa animal, assim, são
vegetarianos, tratam bem os animais, lêem sobre os temas de defesa dos
animais, mas não tem muito como agir para defendê-los.



Há também um grupo totalmente voltado para a defesa dos animais.
Passam o maior tempo possível conforme suas vidas lhes permite,
dedicando-se aos animais. Essa dedicação acontece das mais diferentes
maneiras. Alguns são bem práticos, saem às ruas para ajudar os
animais, fazem resgate, denunciam, cuidam, montam ONGS para abrigar
animais e muitas outras atividades práticas. Essas pessoas são as que
mais sofrem em suas tarefas em defesa dos animais pois só encontram
barreiras daquelas pessoas que não entendem o sentido de defender os
animais. Em muitos casos, conseguem até inimigos.



Um outro grupo cada vez mais importante entre os defensores é o grupo
 intelectual, usam seus conhecimentos técnicos, artísticos ou de
formação para ajudar os animais. Por exemplo, há nesse grupo
veterinários que poderiam estar comodamente apenas exercendo suas profissões, mas vão mais além, dedicam-se ao salvamento dos animais. Há pessoas com formação que envolve ética, direito,  etc. As quais usam essas ferramentas para ajudar os animais, escrevendo, divulgando, denunciando. O grupo dos artistas usa de seu carisma e de sua arte em defesa dos animais. Aliás este que mais tem crescido nos últimos anos. Cantores, músicos, atores e muitos outros aderem a causa animal e usam de sua influência junta ao público para passar uma mensagem positiva contra a exploração dos animais.



A maior ONG do mundo, o PETA, há muito descobriu que o melhor meio
para passar uma mensagem em defesa dos animais ao grande público é
justamente usando pessoas queridas e até adoradas pelo público, ou
seja, os artistas. E neste aspecto tem obtido enorme sucesso,
motivando milhões de pessoas a cada ano a um melhor entendimento sobre
os animais. Muitas pessoas passam a defender os animais apenas porque
seus ídolos assim o fazem, outras, porque acham que se um grande astro
fala a favor de uma causa, vale a pena pesquisar um pouco e ver do que
se trata. De toda maneira acaba aderindo a causa, pois não há quem não
pesquisa sobre direitos e defesa dos animais que logo não se convença
de que deve mudar de atitude radicalmente e passar a defender os
animais.



A defesa dos animais é uma causa lógica. Não há como fugir. Basta ter
um mínimo de inteligência e boa vontade. Em meia hora de pesquisa
séria e reflexão qualquer pessoa inteligente se dá conta do grande
erro que vinha cometendo durante toda sua vida, o erro de considerar
os animais como meros objetos, como produtos ou alimentos.



Vegetarianos e veganos, ambos podem divididos em duas
partes, aqueles que primeiro se tornaram defensores dos animais e em
seguida perceberam que seria uma verdadeira hipocrisia defende-los e
ao mesmo tempo come-los e portanto a solução seria ser vegetariano em
defesa dos animais, e um outro grupo que primeiro se tornou
vegetariano pensando em si, ou seja, um corpo saudável, longe das
doenças, longevidade, etc. Mas que depois vieram a descobrir que
vegetarianismo tem tudo a ver com a defesa dos animais, e a partir de
então passaram a se dedicar a causa.



Os defensores dos animais, apesar da modernidade dos meios que usam e
da evolução da ética, ainda encontram muitas barreiras e inimigos. A
principal delas é a tradição. Alguém no passado, inventou determinado
procedimento, como o famoso churrasco, ou qualquer outra
coisa do gênero que tenha a ver com os animais (ou o rodeio por exemplo).
A partir daí isso vai passando de geração para geração e ninguém tem 
coragem de dar um basta. Assim, sobra para os defensores dos animais
a árdua tarefa de dar um basta em muitas tradições, e claro que isso exige
muita luta, é quebrar toda uma corrente, todo um pensamento enraizado 
nas pessoas, hereditário. Dizer a alguém que deve abolir o churrasco
ou a tourada ou a pescaria em defesa dos animais não é tarefa fácil, o
defensor não está enfrentando apenas uma pessoa, mas milhares que
praticam a mesma atividade e até as gerações passadas que impingiram
tais tradições.



Ainda um outro inimigo de peso que o defensor enfrenta é a indústria
animal. A indústria não usa apenas a parte material dos animais como a
carne, a pele e outros produtos. Usa de uma ferramenta muito difícil
de ser combatida, usa a propaganda a fazer de seus produtos. Faz com
que os produtos derivados de animais pareçam indispensáveis e
maravilhosos. Causa nas pessoas a impressão de que é totalmente
impossível viver sem eles. Ao mesmo tempo, essa indústria que usa os
animais é rica e poderosa possuindo meios para combater os defensores.



Ultimamente o que muito tem ajudado as pessoas que defendem os animais
são os meios modernos de comunicação, sobretudo a Internet. Grandes
exemplos podemos ver recentemente quando milhares de pessoas se uniram
através de e-mails, sites de relacionamentos, blogs, sites e tudo o
mais para tentar dar um basta na poderosa indústria que usa peles de
animais. Os resultados foram excelentes, essas pessoas unidas
conseguiram dobrar as poderosas marcas que usam peles, fazendo-as
voltar atrás, dar esclarecimentos e até pedir desculpas.



Assim, as grandes ferramentas modernas para quem pretende defender os
animais são duas, a comunicação via Internet e a
união. Hoje, um defensor isolado não consegue nada. A solução é a
união. Assim, aqui recomendamos que entre para algum grupo em defesa
dos animais, acompanhe os sites, blogs, e páginas dedicadas a estes
temas.

Leonardo Bezerra
(com algumas alterações de regência gramaticais e substituição de termos por outros de valor similar)

Do: Jornal Defesa dos Animais :  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário